•  Installation Shots From: Pangaea: New Art From Africa And Latin America
    Pangaea: New Art From Africa And Latin America
  •  Installation Shots From: Pangaea: New Art From Africa And Latin America
    Pangaea: New Art From Africa And Latin America
  •  Installation Shots From: Pangaea: New Art From Africa And Latin America
    Pangaea: New Art From Africa And Latin America
  •  Installation Shots From: Pangaea: New Art From Africa And Latin America
    Pangaea: New Art From Africa And Latin America
  •  Installation Shots From: Pangaea: New Art From Africa And Latin America
    Pangaea: New Art From Africa And Latin America
Saatchi Art
Saatchi Store
Current Exhibition
MUSEUMS HOME REGISTER HERE TO DISPLAY YOUR MUSEUM PROFILE EDIT YOUR MUSEUM PROFILE

Profile - Museu Abelardo Rodrigues

paixão pela arte e o interesse pelo inusitado, levaram o Advogado pernambucano ABELARDO RODRIGUES, nascido em 28/08/1908, a percorrer o Brasil em busca da expressão material de religiosidade, especialmente do Nordeste, adquirindo peças em diversas localidades e enfrentando curiosas situações.

Assim, conseguiu formar uma das maiores Coleções de Arte Sacra do Brasil.
A riqueza da Coleção está na representatividade da escultura religiosa, não só de origem brasileira como da Europa e Oriente, dos séculos XVI a XIX e na diversificação do acervo, composto de imagens, crucifixos, oratórios, ornatos, documentos e objetos que compunham elementos arquitetônicos e mobiliário sacro.
As imagens que representam invocações da Virgem Maria superam, em quantidade as demais invocações femininas e masculinas, confeccionadas em madeira, pedra sabão, barro, alabastro e marfim.
Compreendendo a preocupação de Abelardo no sentido de que o acervo por ele obtido, continuasse a ser preservado, mantida a sua unidade e permanência em terras brasileiras, de preferência no Nordeste, a família procurou, após sua morte em 18/12/1971, cumprir seus desejos.
Conhecendo a importância da Coleção e os propósitos da família do Colecionador, o Governador da Bahia, Antônio Carlos Magalhães, propôs a compra do acervo, efetivada em 1973, enfrentando em seguida um processo judicial devido a imediata desapropriação da Coleção pelo Governo de Pernambuco que, até aquele momento, não demonstrara interesse em adquiri-la. A questão, que durou três anos, foi intitulada "GUERRA SANTA", terminando no Supremo Tribunal Federal que deu ganho de causa à Bahia.
Em 1975 chega, a Salvador, a Coleção de Arte Sacra Abelardo Rodrigues, permanecendo durante seis anos, nas dependências do Museu de Arte Sacra da Universidade Federal da Bahia.
Finalmente, em 05 de novembro de 1981, é inaugurado o MUSEU ABELARDO RODRIGUES, ocupando o andar nobre do Solar Ferrão.


Cronologia da "COLEÇÃO DE ARTE SACRA ABELARDO RODRIGUES" a partir da sua aquisição pelo Governo da Bahia.

1973

02/10 - Carta do Governo da Bahia, dirigida à viúva de Abelardo Rodrigues, ratificando o desejo de adquirir a Coleção.
09/10 - Carta do Procurador da família de Abelardo Rodrigues, ao Governo da Bahia, propondo a venda da "aludida" Coleção.
17/10 - Registrada, em Cartório Especial de Títulos e Documentos de Salvador, a compra da Coleção de Arte Sacra pelo Governo da Bahia.
22/10 - Registrada, no 1º Cartório de Títulos e Documentos de Recife, a compra da Coleção de Arte Sacra pelo Governo da Bahia.
- Decreto nº 2929, do Governo de Pernambuco, desapropriando a Coleção de Arte Sacra Abelardo Rodrigues.

1975

27/08 - Supremo Tribunal Federal põe fim à "GUERRA SANTA". Nega provimento ao Mandado de Segurança impetrado pelo Estado de Pernambuco, dando ganho de causa à Bahia.
06/10 - Chega, à Bahia, a COLEÇÃO DE ARTE SACRA ABELARDO RODRIGUES. Permanecendo durante seis anos no Museu de Arte Sacra da Universidade Federal da Bahia.

1976

Abertura da primeira Exposição da Coleção na Bahia no Museu de Arte Sacra da UFBª.

1980

03/13 - Decreto nº 27724, do Governo da Bahia, criando o MUSEU ABELARDO RODRIGUES.

1981

05/11 - Inauguração do MUSEU ABELARDO RODRIGUES.


< back to Museum's profile