Porto

Portugal



Address:
Palácio dos Carrancas - Rua D. Manuel II

4050-342 Porto
Phone: 223393770
Website: http://www.mnsr-ipmuseus.

Museu Nacional Soares Dos Reis

O Museu Nacional Soares dos Reis, localiza-se no Porto, Portugal

O chamado Museu Portuense foi criado, em 1833, por D. Pedro IV e instalado no edifício do Convento de Santo António da Cidade actual edifício da Biblioteca Pública Municipal do Porto, em Santo Ildefonso.

Em 1911 o Museu ganha nome de Soares dos Reis em homenagem ao escultor do Porto. Grande parte do espólio do escultor faz parte da colecção do Museu, sendo talvez a obra mais emblemática a bela escultura em mármore de nome O Desterrado.

Em 1940, o estado compra à misericórdia o Palácio dos Carrancas para o qual muito contribuiu o empenho do seu director, Vasco Valente.

Depois das obras de adaptação do novo edifício, da autoria do engenheiro Fernandes Sá, o museu foi inaugurado em 1942. À época, as alterações mais notáveis consistiram na transformação das oficinas da antiga fábrica em galeria com iluminação zenital, destinada à pintura. Assim como, a criação de outra galeria, desta feita de escultura, para alojar a obra de Soares dos Reis.

Durante a década de 1940, o Museu é enriquecido com as colecções do Museu Municipal. De museu clássico, de Belas-Artes, passa a museu misto, incorporando as chamadas artes decorativas que assentam bem a um Porto industrial.

Sob a direcção do escultor Salvador Barata Feyo, na década de 50, o Museu adquire obras de Pintura e Escultura a jovens artistas.

Em 1992, na sequência da criação do Instituto Português de Museus, o Museu Nacional Soares dos Reis inicia um projecto de remodelação e expansão, da autoria do arquitecto Fernando ... [ Read all ]


Permanent Collection

Abrangendo os quatro últimos séculos, a colecção de Pintura permite uma abordagem à evolução da criação artística portuguesa com alguns apontamentos europeus.
Iniciada em 1833-34, aquando da criação do Museu, a colecção caracteriza-se, essencialmente, pelo carácter académico, consequência da ligação à Academia Portuense de Belas Artes (1839 até 1932), facto, que justifica o seu núcleo mais consistente: pintura portuense da segunda metade do séc. XIX.
Analisada cronologicamente, o séc. XVI é representado por obras nacionais e estrangeiras, no séc. XVII prevalece a Pintura estrangeira, no séc. XVIII a representação portuguesa só assume destaque nas décadas finais, assumindo no séc. XIX grande significado, particularmente com o movimento naturalista desenvolvido numa primeira e segunda gerações de pintores.

Pintura portuguesa do séc. XVI ao séc. XVIII
De temática religiosa, a pintura portuguesa do séc. XVI ao séc. XVIII é marcada pela influência flamenga, não só através da actividade de pintores desta origem residentes em Portugal, mas também devido à encomenda e importação de obras. A maioria das produções, oriundas dos fundos conventuais, caracterizam bem a situação estética nacional: inexistência de artistas qualificados, consequente fraca produção e qualidade. Neste contexto, destacam-se artistas como João Glama Stroberle, Jean Pillement, João Teixeira Barreto, Mestre da Lourinhã, Pedro Alexandrino de Carvalho, Domingos Sequeira e Vieira Portuense, estes dois últimos - formados em centros artísticos europeus - responsáveis pela renovação estética nacional, na viragem do séc.XVIII.

Pintura do séc....+ [ Read all ]


Previous Exhibitions

Visitas Privadas
Um Olhar Contemporâneo Sobre o Museu Nacional de Soares dos Reis
Ângela Ferreira

A artista Ângela Ferreira foi convidada a visitar o Museu Nacional de Soares dos Reis em vários momentos, entre Janeiro de 2000 e Julho de 2001, período em quer o museu esteve encerrado para obras, e registou, em fotografia e vídeo, as
transformações que o espaço museológico foi sofrendo durante o processo de
renovação e ampliação. O objecto final, uma publicação de autor assumirá as características de um múltiplo (caixa com livro e vídeo) numa tradição redefinida contemporaneamente e que possibilitará, segundo a artista, “libertar a obra de arte dos espaços convencionais, sejam eles o museu, a galeria, ou mesmo o espaço site specific” uma vez que qualquer pessoa a poderá adquirir, levá-la para sua casa e usufruir dela livremente”. Uma selecção dessas fotografias é exposta nos vários espaços do museu com os quais se relaciona.

Uma Hipótese de Trabalho

O ciclo "Desenho em Portugal no Século XX" que, em boa hora, o Instituto de Arte Contemporânea decidiu promover e realizar, continua, agora, já no século XXI, com esta exposição de desenhos de arquitectos que sempre desenharam para que a arquitectura acontecesse como necessidade vital e realização artística.
O desenho tem sido para o arquitecto, antes de mais, um instrumento do projecto, mas também um meio de realização plástica pessoal. Nos últimos anos, verificámos, de facto, um interesse crescente pelos desenhos de arquitectos, particularmente por aq...+ [ Read all ]


Exhibitions (6)

Click on the images to enlarge





Cost

3€ (gratuito aos Domingos e feriados até às 14h00).


Opening hours

Horário
Terça-Feira, das 14h00 às 18h00
Quarta-Feira a Domingo das 10h00 às 18h00
Encerrado à Segunda-Feira, 1 de Janeiro,
Domingo de Páscoa, 1³ de Maio e 25 de Dezembro.


Getting there

Transportes
Autocarros: 3, 6, 20, 24, 35, 37, 52, 78.

Acessibilidade
O Museu não dispõe de estacionamento privativo para utilização dos visitantes. As salas de exposições, de acolhimento e todas as áreas de serviços são
acessíveis a todos, incluindo visitantes com dificuldades de locomoção.
Para a realização da visita ou acesso aos serviços o Museu poderá ceder
cadeira de rodas mediante solicitação na recepção ou marcação prévia.
--


Facilities

Auditório
Com 180 lugares, acolhe eventos musicais, espectáculos de palco,
conferências e seminários.

Biblioteca
Especializada em História de Arte.
Acesso mediante marcação prévia.

O edifício, onde mora o museu público mais antigo do país, conta histórias; é História, com mais de dois séculos. Referimo-nos não só à arquitectura, que lhe deu classificação de imóvel de interesse público. Mas, também, aos seus habitantes, que conseguiram dar razão à «pedra».

Palácio dos Carrancas
É construído, a partir de 1795, para habitação e fábrica dos Moraes e Castro - família de prósperos negócios, proprietária da Fábrica de Tirador de Ouro e Prata na Rua dos Carrancas. Insere-se em pleno período urbanístico de Francisco Almada e Mendonça e - do ponto de vista histórico-artístico - no movimento neoclássico que entretanto surgira no Porto. O seu risco é, tradicionalmente, atribuído a Joaquim da Costa Lima Sampaio - arquitecto da Cidade -, que participou em obras como a Feitoria Inglesa e o Hospital de Santo António, da autoria de John of Carr de York.
A decoração, relatam as descrições da época, é objecto de especial cuidado: as paredes dos salões cobertas por majestosas alegorias e paisagens a fresco, realizadas por pintores vindos de Itália. Entre os vários artistas, destaca-se Luís Chiari, que nos estuques da sala de jantar e no mobiliário da sala da música utiliza a delicada gramática decorativa, inspirada em Robert Adams.
Elegante e imponente, o Palácio dos Carrancas é escolhido, nem sempre com o acordo dos seus proprietários, para hospedar personagens ilustres: é residência oficial do general Soult, e...+ [ Read all ]


Museum internal and external photos (1)

Click on the images to enlarge



News and events

À venda na Loja do Museu [ 24,94 Euros ]. O portador do cartão MNSR Actividades, tem direito, durante o ano a que o cartão se refere, a:

> Entrada livre no Museu
> Informação trimestral da actividades temporárias
> Convite para as inaugurações
> 20% de desconto nos ateliers pagos.

Grupo de Amigos
Círculo Dr. José de Figueiredo, grupo de Amigos do Museu Nacional de Soares dos Reis, constituído em 25.08.1940.

Loja / Livraria
Terça-feira das 14h00 às 17h50.
Quarta-feira a Domingo das 10h00 às 17h50.

Cafetaria / Restaurante
Serviço de Cafetaria e Restaurante durante o período de abertura do museu.


FAQ's

Os visitantes podem fotografar os espaços do museu ou as obras em exposição?
Não. Aos visitantes do Museu está vedada a execução de fotografias no seu interior. A obtenção de imagens de peças do acervo do Museu poderá, no entanto, ser solicitada aos serviços do IPM. O regulamento de cedência de imagens ("Regulamento para a execução, reprodução e aquisição de fotografias e de bens culturais dos museus") está disponível em www.ipmuseus.pt

O museu é todo ele acessível à circulação de pessoas que se deslocam em cadeiras de rodas?
Sim. Todos os espaços de exposição, de acolhimento e de serviços, bem como o jardim são acessíveis a visitantes que se deslocam em cadeira de rodas. O Museu dispõe de cadeira de rodas que poderá ceder para a realização da visita mediante solicitação na recepção ou marcação prévia.

O museu está dotado de legendas em braile ou sinalização de percursos e plantas para invisuais?
Não. O Museu não dispõe de legendagem das peças em braile nem de sinalização de percursos ou plantas para invisuais. Também não dispõe de roteiro da colecção em braile. Prevê-se, no entanto, que para alguns projectos de exposições temporárias ou dos serviços educativos, venha a ser produzida alguma documentação em braile ou própria para invisuais.

O museu dispõe de audio-guias?
Não. Prevê-se, no entanto, que alguns projectos de exposições temporárias possam vir a ser dotados de audio-guias.+ [ Read all ]


Education

As actividades orientadas pelo serviço de educação pretendem estimular no visitante uma observação activa e gostosa das obras expostas.

Todas as actividades requerem marcação prévia, com duas semanas de antecedência, pelo telefone 223 393 770 ou fax 222 082 851.
As marcações realizam-se às 2ª e 3ª feiras.


Groups

Marcação de Visitas em Grupo
Paula Azeredo / Cristina Campos
Segundas e Terças-feiras das 10h00 às 13h00 e das 14h00 às 17h00
Tel / 223 393 770 > Fax / 222 082 851


Families

Para as famílias que visitam o Museu, encontam-se disponíveis materiais de apoio com sugestões de percursos e actividades, pequenas tarefas que podem ser executadas em conjunto e que, desejavelmente, serão motivadoras de diálogo entre pais e filhos enquanto podem ajudar a despertar a curiosidade pelas obras em exposição.

Actualmente, temos três sugestões para si:
-Soares dos Reis
-Crianças
-Comer, Beber (pequeno exemplo)